IV Fórum de Oportunidades e Investimentos na Bahia

O setor florestal foi um dos três temas destaque no IV Fórum de Oportunidades e Investimentos na Bahia que aconteceu em 01/12 na Federação das Indústrias do Estado da Bahia – FIEB, no bairro do Stiep, em Salvador (BA). Promovido pela FIEB e pelo LIDE Grupo de Líderes Empresariais, o evento reúne os mais importantes líderes políticos e empresariais para uma agenda de debates sobre política econômica, gestão empresarial e responsabilidade social que impactam o cenário do País. Outro destaque do evento foi o painel, às 14h30, ‘Perspectivas de Crescimento Econômico’, com o economista Maílson da Nóbrega, seguido de debate com Antonio Sergio Alipio, Presidente da Veracel e Coordenador do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Bahia (Codes/ FIEB) e Carlos Figueiredo, Presidente da Renova.

O diretor executivo da Associação Baiana das Empresas de Base Florestal (ABAF), Wiilson Andrade, coordenou o Painel Agronegócios que, entre 8h30 e 12h30, teve como foco a atração de investimentos e a verticalização das cadeias produtivas. O painel tratou de três temas e teve o apoio de entidades nacionais líderes de cada setor. O tema ‘Madeira para uso múltiplo’ foi apresentado pela presidente executiva da Indústria Brasileira de Árvores (IBÁ), Elizabeth de Carvalhaes. O tema ‘Fibras naturais – algodão e coco’, contou com a participação da Associação Brasileira da Indústria Têxtil (ABIT)e do Frysk Industrial Ltda. (grupo internacional Aurantiaca). O tema ‘Grãos – Processamento, exportação e verticalização’, foi representado pela Associação Brasileira do Agronegócio (ABAG). Também participaram produtores e instituições estaduais trarão as informações locais.

Na busca de investidores, a organização do evento convidou e enviará informações setoriais mostrando as oportunidades locais de investimentos, para todas as embaixadas e consulados credenciados no Brasil, câmaras de comércio bilaterais e fundos de investimentos nacionais e internacionais operando no Brasil.

O presidente do LIDE Bahia, Mário Dantas, explica que o Fórum de Oportunidades e Investimentos na Bahia é uma iniciativa do setor empresarial baiano com vistas a intensificar o relacionamento com empresários de outras regiões do Brasil e de outros países. “Para o evento, buscamos os setores que tem grande potencial de atração de investimentos, a exemplo do setor de florestas plantadas que ainda tem grande possibilidade de verticalização”, declara. O LIDE é uma organização de caráter privado, que reúne empresários em doze países e quatro continentes. O LIDE debate o fortalecimento da livre iniciativa do desenvolvimento econômico e social, assim como a defesa dos princípios éticos de governança corporativa no setor público e privado.

O setor florestal

“O setor florestal, por exemplo, é uma excelente oportunidade de atração de investimentos para a Bahia e Brasil. É um dos mais promissores nesse sentido, pois é forte na captação de divisas, empregos, desenvolvimento social e ambiental. Hoje o mundo comercializa algo em torno de US$ 250 bilhões de produtos de madeira por ano. Apesar de todas as suas vantagens competitivas no setor, Brasil participa com apenas 3% desse montante. Mas, se depender da iniciativa de algumas empresas e projetos, vamos começar a mudar o jogo. Esta projeção leva em conta a alta produtividade da madeira plantada por hectare no país, que se dá pelas excelentes condições edafoclimáticas e pela alta tecnologia empregada e aperfeiçoada pelas empresas do setor, com base em experiências internacionais e parcerias com a Embrapa e pesquisadores nacionais”, declara Andrade.

A Indústria Brasileira de Árvores (Ibá), associação responsável pela representação institucional da cadeia produtiva de árvores plantadas, do campo à indústria, junto a seus principais públicos de interesse, representa 60 empresas e nove entidades estaduais de produtos originários do cultivo de árvores plantadas – painéis de madeira, pisos laminados, celulose, papel, florestas energéticas e biomassa -, além dos produtores independentes de árvores plantadas e investidores institucionais. Representa um setor que é responsável por cerca de 6% do Produto Interno Bruto (PIB) Industrial e quase 5% das exportações do Brasil.

Elizabeth de Carvalhaes, presidente executiva da Ibá, é a atual presidente do International Council of Forest and Paper Associations (ICFPA), conselho que reúne as associações mundiais do setor de florestas, com grande experiência em negociações com governos e mercados internacionais e atua no setor desde 2007.

“O Brasil possui um parque industrial moderno, com a melhor engenharia genética e a mais alta produtividade arbórea do mundo. Uma das grandes razões para o desempenho positivo do setor brasileiro de árvores plantadas é o total de investimentos e pesquisas realizados pelas empresas florestais, que têm permitido manter-se na liderança mundial de produtividade e alcançar novos mercados. A Bahia é responsável por 15% da produção nacional de celulose e 5% de papel. O estado também é representativo no mercado externo do setor florestal, com participações superiores a 23% nas vendas de celulose, além de 4% das exportações de papel. Com fortes investimentos previstos em 2017, a Bahia tem tudo para embarcar ainda mais nesta economia verde, fonte de centenas de produtos e subprodutos, gerando empregos e riqueza de qualidade”, declara Carvalhaes.