Veracel destaca resultados dos projetos de apicultura realizados com produtores da região Sul da Bahia

Em parceria com associações de produtores, a companhia fornece materiais e capacita a comunidade para o manejo sustentável das colmeias, protegendo as abelhas e gerando oportunidade de renda para a população da região.

Eunápolis, 24 de maio de 2021 – Ontem (22) foi comemorado o Dia do Apicultor e na última quinta-feira (20) foi o Dia Mundial da Abelha. Junto com estas datas, a Veracel celebra também os destaques positivos de iniciativas que realiza em parceria com associações de produtores do Sul da Bahia para posicionar a apicultura e a meliponicultura como fontes de renda sustentáveis para comunidades da região. Somente em 2020, foram produzidas 87 toneladas de mel e 158 famílias foram beneficiadas por esses projetos.

“As abelhas são seres vivos insubistituíveis, e mais de 250 mil espécies de flores dependem das abelhas para se reproduzir. Por isso, as ações da Veracel voltadas ao cultivo a preservação de colmeias buscam proteger essas espécies e contribuir tanto para o desenvolvimento da região, quando para o resgate da cultura local, propiciando a retomada da produção de itens e recursos importantes para a subsistência e o desenvolvimento das comunidades envolvidas”, destaca Izabel Bianchi, especialista em Responsabilidade Social da empresa.

A Veracel organiza apoia, desde 2005, projetos de apicultura para famílias dos municípios de Eunápolis, Itabela, Guaratinga, Itagimirim e Belmonte. A empresa investe na capacitação dos apicultores participantes, com a doação de materiais, insumos, tecnologia e vestimentas adequadas, além da disponibilização dos materiais que proporcionam segurança operacional para os trabalhadores florestais (treinamentos e disponibilização de mapas de georreferenciamentos de apiários das associações). Com uma rede de parceiros, a companhia também apoia a criação das associações de produtores e orienta para a gestão profissional do negócio.

“Depois que a Veracel entrou com o apoio de caixa e kits, a associação cresceu muito. Temos o projeto rainha, que é uma ação custeado pela empresa, e que contou inicialmente com o apoio técnico da CEPLAC – Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira, por meio da qual são doadas aos apicultores as rainhas, princesas e cúpulas de alta produtividade, e isso aumenta muito a produção de mel de cada um. É possível produzir em torno de 60 a 80 quilos de mel por colmeia” ressalta Anderson Jucie, apicultor da ASAPMAG (Associação de Apicultores e Meio Ambiente de Guaratinga), na Bahia.

A companhia também tem investido em melhorias na reprodução das abelhas-rainha desde 2018. A transferência da tecnologia da empresa para os apicultores das associações parceiras amplia a capacidade técnica e também a autonomia de coletivos rurais. Com as capacitações organizadas pela empresa, os apicultores também ampliam seus conhecimentos para o manejo respeitoso e sustentável das colmeias.

Em 2019 a companhia também lançou um projeto de meliponivultura, que consiste na criação de abelhas sem ferrão, com a comunidade indígena pataxó Aldeia Meio da Mata e com associações de apicultores em Eunápolis e Guaratinga. Contando com a parceira técnica da DVM Consultoria Apícola, a companhia disponibilizou kits apícolas e ofereceu capacitação para o manuseio e a produção de mel orgânico de abelhas da espécie uruçu amarela (Melipona mandury).

Um dos aspectos mais vantajosos desse processo com abelhas sem ferrão é que ele pode ser feito de maneira segura nos quintais das casas, contribuindo para a disseminação da atividade entre os produtores. Os trabalhadores que participam da iniciativa podem dividir os enxames em três ou quatro vezes ao ano, sendo que cada enxame equivale a um salário mínimo.

“Esse projeto foi uma oportunidade muito relevante para recolocar na cadeia produtiva grupos que foram bastante impactados pelo desemprego durante a pandemia e que agora podem utilizar recursos naturais para criar uma nova fonte de renda. As abelhas sem ferrão também são fortes aliadas da natureza pelo seu alto poder de polinização de culturas agrícolas e matas”, complementa Izabel.

Contando também com a parceria da Veracel, os apicultores também projetam a inauguração de seu entreposto de mel em Eunápolis ainda para 2021. O entreposto será um estabelecimento destinado ao recebimento, à classificação e à industrialização do mel e de seus derivados. Essa é uma etapa importante na consolidação da atividade na região, pois significa que haverá instalações adequadas para processar o produto e alcançar melhores preços pagos aos apicultores das associações comunitárias.

“As abelhas são muito importantes para as pessoas e para a natureza. Elas polinizam e também geram renda. Esse trabalho da Veracel é muito importante porque atua no tripé social, econômico e ambiental. Essa parceria com produtores locais, com órgãos públicos e com a iniciativa privada e é o que chamamos parceria inteligente, em que cada um tem seu papel e sua importância nesse sistema e no planejamento de produção das abelhas”, ressalta Edney Magalhães, engenheiro agrônomo do núcleo de apicultura do CEPLAC – Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira.