05.09.16

A visita das autoridades à fabrica da Veracel foi um dos acontecimentos do Aspex Bahia Florestal

O diretor de operações da Veracel, Ari Medeiros, recepcionou o secretário da agricultura, Vitor Bonfim, em visita à Veracel (01/09/16).

O secretário Vitor Bonfim, da Secretaria Estadual da Agricultura (Seagri), aproveitou a agenda do evento Aspex Bahia Florestal 2016 para conhecer melhor uma das maiores empresas de celulose do Sul da Bahia (e do Brasil): a Veracel. A visita aconteceu em 01/09/16 e fez parte do evento onde a (Associação Baiana das Empresas de Base Florestal (ABAF) participou com estande do Programa Fitossanitário de Controle da Lagarta Parda, além de palestra do coordenador do programa, Paulo Andrade, e palestra do diretor executivo da ABAF, Wilson Andrade.
O secretário foi até a unidade da Veracel em Eunápolis (BA) acompanhado de Walter Rezende – presidente da Câmara Setorial de Florestas Plantadas do Ministério do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) e presidente da Comissão Nacional de Silvicultura da CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária); do empresário Ricardo Audi Filho (da Bahia Produtos de Madeira); do produtor rural e representante da Aspex (Associação dos Produtores de Eucalipto do Extremo Sul da Bahia), Flamarion Matos; e do diretor executivo da ABAF, Wilson Andrade.
O grupo foi recebido pelo diretor de operações da Veracel, Ari Medeiros, que explicou toda a operação da unidade. Medeiros, além de mostrar a modernidade e capacidade da fábrica, ressaltou o compromisso e o trabalho que é feito em responsabilidade ambiental e social.
“Participar desse evento e vir visitar a Veracel é mais uma forma de reconhecer a importância do setor de florestas plantadas para a economia da Bahia. É um setor forte que gera renda e emprego e é de maior importância que tenha respaldo para sua expansão no Estado”, declarou o secretário, que ainda reforçou a parceria da Seagri nos programas da ABAF: Mais Árvores Bahia e Programa Fitossanitário de Controle da Lagarta Parda. “Esta parceria é muito significativa e vamos ajudar na sua consolidação”.
“Tenho percorrido o Brasil e posso dizer com a maior segurança que a Bahia está à frente de todos os outros estados no sentido de integração e organização dos produtores de madeira. A Bahia está produzindo florestas com excelência e, para isso, é importante também a participação maciça dos produtores em eventos com este e nos programas que a ABAF vem desenvolvendo. E é o que estamos vendo. Tudo isso retrata a realidade que os produtores estão vivendo e que, hoje, é a melhor do Brasil”, disse Walter Rezende.

 

Ações ABAF

 

A ABAF esteve presente no Aspex Bahia Florestal, evento que celebrou os dez anos da Associação dos Produtores de Eucalipto do Sul e Extremo do Sul da Bahia (Aspex) e estabeleceu um ambiente de conhecimento, negócios e troca de experiências de 31 de agosto a 2 de setembro em Eunápolis (BA). A participação da ABAF se deu como parte das ações do Programa Fitossanitário de Controle da Lagarta Parda (PFCLP) no Sul e Extremo Sul da Bahia.

 

No evento foi montado um estande com a presença da equipe técnica que esteve à disposição para fornecer informações sobre o Programa e sobre a Lagarta Parda. O assunto também foi abordado em palestra pelo coordenador do PFCLP na Bahia, Epaminondas Júnior, e pelo coordenador do plano operacional, Paulo Andrade  que apresentou as ações e primeiros resultados. A participação da ABAF se completou com a palestra do diretor executivo Wilson Andrade sobre o mercado de florestas plantadas na Bahia e no Brasil.

 

PFCLP – ações e resultados

 

Mais de três mil pessoas, de cerca de 80 comunidades, já foram treinadas em 84 encontros, desde o início das ações do plano operacional do PFCLP – uma iniciativa da Secretaria da Agricultura (Seagri-BA), através da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (ADAB), da ABAF e entidades parceiras. As atividades tiveram início em 02 de outubro de 2015 com o seminário de lançamento do PFCLP que reuniu mais de 170 pessoas no Parque de Exposições de Teixeira de Freitas (BA). Em seguida, em 25 e 26 de novembro do ano passado, também em Teixeira de Freitas, foi realizada a ‘Capacitação de Líderes no Monitoramento, Controle e Fiscalização da Lagarta Parda no Sul e Extremo Sul da Bahia’. A partir de janeiro de 2016, iniciaram os treinamentos com os grupos de produtores em sindicatos, assentamentos, comunidades etc; além de uma ampla campanha publicitária.

 

No período, a equipe do plano operacional – composta por um Engenheiro Agrônomo e dois Engenheiros Florestais – percorreu mais de 42 mil quilômetros para a realização dos treinamentos, além das reuniões e seminários com parceiros. Nos treinamentos foram distribuídos mais de 12 mil folders – uma das peças produzidas pela campanha de comunicação do PFCLP que contou ainda com outdoor, spot para rádio, vídeo, camisas, plotagem dos carros e demais peças gráficas (de papelaria a redes sociais).

 

Desde o início do ano, a campanha vem reforçando o trabalho de divulgação do PFCL. Presente de forma  on line nos principais canais da Internet, a campanha está sendo trabalhada fisicamente especialmente no Sul e Extremo Sul da Bahia. A campanha somou, neste primeiro momento, mais de 900 inserções em rádios, 255 dias de veiculação de outdoor e mais de 260 dias de exposição do banner da campanha em sites da região.

 

Além da atuação da equipe contratada para a realização dessas ações, o PFCLP conta com o apoio dos sindicatos rurais do Sul e Extremo Sul da Bahia e da Aspex e seus associados. Todos contribuem para a divulgação do programa, utilizando inclusive do Whatsapp para o envio do VT da campanha.

 

O objetivo do PFCLP é adotar medidas de controle da praga “lagarta desfolhadora” (Thyrinteina arnobia ou Lagarta Parda), primeiramente no Sul e Extremo Sul da Bahia. Entre as ações realizadas no início do programa estão as visitas para apresentação do PFCLP às Prefeituras, Secretarias de Agricultura, Secretarias de Meio Ambiente, Sindicatos Rurais, Agências Bancárias com carteira rural e lojas de produtos agropecuários, buscando parceria e o apoio dos municípios para a realização do plano junto às comunidades. Neste primeiro momento, as cidades alcançadas foram: Alcobaça, Belmonte, Canavieiras, Caravelas, Eunápolis, Guaratinga, Ibirapuã, Itabela, Itamaraju, Itanhém, Lajedão, Medeiros Neto, Mucuri, Nova Viçosa, Porto Seguro, Prado, Santa Cruz de Cabrália, Teixeira de Freitas e Vereda, incluindo comunidades rurais, aldeias e assentamentos vizinhos.

 

De acordo com o coordenador do plano operacional, Paulo Andrade, na sequência a equipe partiu para o nivelamento de conhecimento das comunidades rurais sobre a Lagarta Parda. “Para isso, têm sido realizados treinamentos para identificação e controle da Lagarta Parda nas comunidades rurais, associações, aldeias e assentamentos. Os treinamentos têm sido intensificados, visando difundir o conhecimento sobre a biologia da praga, seus hospedeiros e inimigos naturais, priorizando trabalhar o Manejo Integrado de Pragas (MIP), envolvendo o controle biológico para preservação ambiental e da saúde humana. Essas ações darão respaldo a uma ampla base de informações sobre a ocorrência da praga nas Regiões Extremo Sul e Sul da Bahia, contribuindo para o seu monitoramento e controle”, explica.

&nbsp