ABAF é destaque na maior premiação do setor florestal e industrial do Brasil

No último dia 29/11, a Associação Baiana das Empresas de Base Florestal (ABAF) foi uma das ganhadoras do Prêmio Referência 2022 que completou 20 anos e contemplou, de maneira excepcional, as 20 empresas e instituições que mais se destacaram no setor em 2022. A vigésima edição contou com celebração especial em Curitiba (PR), com a presença de 140 convidados. Organizada pela JOTA Editora, responsável pela publicação das revistas: Referência Florestal, Referência Industria, Referência Celulose & Papel, Referência Produtos de Madeira e Referência Biomais, a premiação é um marco para o segmento e atrai a cada ano mais indicados e interesse do público em relação aos vencedores.

Assista: https://youtu.be/66hqVudhLg0

Veja cobertura: ABAF Recomenda _ Cobertura do Prêmio Referência _ dez 2022

“Em nome da presidente da ABAF, Mariana Lisbôa, e das nossas empresas associadas, ficamos felizes com essa premiação que visa prestigiar as entidades que se destacaram no setor madeireiro e florestal. Isso nos estimula a continuar trabalhando, sempre com importantes parcerias com as Estaduais Florestais, com a Ibá e demais entidades do setor. Para nós este reconhecimento vale ainda mais por se tratar de uma iniciativa dessa editora que há 20 anos se destaca na divulgação e promoção do setor florestal brasileiro, além de ser referência enquanto fonte de informações de interesse”, declarou Wilson Andrade, diretor executivo da ABAF.

Os critérios para a seleção dos vencedores são muito ponderados, desde as indicações recebidas por clientes, parceiros, anunciantes e personalidades do setor, passando pela avaliação realizada internamente pelos membros da organização do evento. Muito além do prêmio, o objetivo é valorizar quem mais trabalhou para o fortalecimento e crescimento da indústria de base florestal e industrial. É reconhecimento dado para uma empresa ou associação, mas que reflete no trabalho de todos os que fazem o setor mais forte e representativo para a economia nacional.

“A importância crescente que o setor confere à premiação é uma alegria enorme para nós, assim como um reconhecimento do trabalho que realizamos há mais de duas décadas em prol do fortalecimento da indústria de base florestal nacional. Prova disso é o grande número de indicações recebidas todos os anos”, celebra Fábio Machado, diretor comercial da JOTA Editora.

O evento teve início com o Painel Sustentabilidade, que reuniu quatro especialistas do setor de base florestal para analisar aspectos do panorama brasileiro e internacional: Deryck Pantoja Martins, diretor técnico da AIMEX (Associação das Indústrias Exportadoras de Madeiras do Estado do Pará); Paulo Pupo, diretor executivo da ABIMCI (Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada Mecanicamente); Evaldo Braz, pesquisador da Embrapa Florestas; e Rafael Mason, presidente do CIPEM (Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira do Estado de Mato Grosso).

A ABAF representa as empresas de base florestal do estado, assim como os seus fornecedores. Essa pluralidade dá à associação – sempre com a orientação das associadas – a possibilidade de planejar e agir com respaldo nos mais variados âmbitos e em horizontes largos. Por isso, a ABAF fomenta a pesquisa, investe na coleta e tabulação de dados, a exemplo do relatório Bahia Florestal. A indústria de base florestal usa a madeira como matéria-prima, com destaque para a produção de celulose, celulose solúvel, papel, ferro liga, madeira tratada, energia, carvão vegetal e lenha para o processamento de grãos. A madeira utilizada é plantada e é considerada uma matéria-prima renovável, reciclável e amigável ao meio ambiente, à biodiversidade e à vida humana. Tem como associados: Bayer, Bracell, Caravelas Florestal, ERB, Ferbasa, Floryl, JSL, Komatsu, Proden, Suzano, Venturoli, Veracel e 2Tree. E coopera com quatro regionais – Aiba, Aspex, Assosil, Sineflor – nos principais polos produtores do estado; as quais vinculam pequenos e médios produtores e processadores de madeira locais.