21.03.17

Três Lagoas Florestal

Não é à toa que Três Lagoas se tornou uma das cidades que mais cresce do país. Os investimentos que chegaram, na final da década passada, com a antiga VCP, atual Fibria e com a fábrica de papel International Paper (pioneira no estado), continuam na cidade. O projeto de expansão da Fibria – na verdade uma nova linha com capacidade para 1,95 milhão de toneladas de celulose por ano – Horizonte 2 segue à todo vapor e deve ser inaugurado até o final do ano.

Todo esse contexto será apresentado nos estandes institucionais da feira Três Lagoas Florestal que acontece entre os próximos dias 28 e 30 de março. A feira Três Lagoas Florestal terá, além dos estandes institucionais das fábricas de celulose, exposição com fornecedores de máquinas, implementos, insumos e serviços. Além disso, o evento reúne debates, talks shows e encontros que acontecerão paralelamente à feira, durante os três dias de evento.

Na programação paralela, eventos como Inova Celulose, Inova Florestal, Produza Madeira & Floresta, além de duas rodadas de negócios, devem movimentar um público de mais de mil pessoas. Para visitar a feira, gratuitamente, basta se cadastrar no site www.treslagoasflorestal.com.br. Os ingressos para o conteúdo de palestras e eventos paralelos podem ser adquiridos no mesmo site.

A feira vai reunir eventos inéditos para networking e benchmarketing, chamados ‘Florestal Meeting’, como por exemplo o com o tema sobre ‘Produtores independentes de florestas’ que terá como moderador o diretor executivo da Associação Baiana das Empresas de Base Florestal, Wilson Andrade. No debate, marcado para 30 de março, das 9 às 12h, os presentes poderão discutir sobre como superar os desafios do mercado; para quem vender e como obter melhores preços; quais são as melhores alternativas para quem produz florestas de maneira independente no Brasil, entre outros.

Trata-se de um evento prático, objetivo e bastante dinâmico voltado à troca de experiências. Além de moderar a reunião, Wilson Andrade fará a palestra ‘Uso múltiplo do eucalipto no sul da Bahia’. Também será palestrante Edimar Scarpinati, Gerente de Operações da Arborgen. Outros convidados para a discussão são: Erton Sanchez, Membro do Conselho da Aspex;  Walter Rezende, Presidente da Câmara Setorial de Florestas Plantadas e Pedro Francio Filho, Diretor da Francio Soluções Florestais.

Em sua palestra, Andrade vai apresentar o programa ‘Mais Árvores Bahia’ – uma iniciativa da ABAF em parceria com uma série de entidades ligadas à agricultura, indústria e à qualificação de mão de obra. Busca incentivar o produtor rural a investir no plantio e manejo de florestas para uso múltiplo com tecnologia aplicada. Também pretende contribuir para a inclusão dos pequenos e médios produtores e processadores de madeira para uso múltiplo, visando o atendimento da demanda por móveis, peças e partes de madeira na Bahia – hoje atendida, na sua maior parte, por outros estados brasileiros. Prevê a implantação de duas vertentes de atuação, um chamado Projeto Indústria e outro Projeto Produção, em quatro polos na Bahia – Litoral Norte, Sul, Sudoeste e Oeste.

 

A ABAF e o setor de base florestal

 A indústria de base florestal usa a madeira como matéria-prima, com destaque para a produção de celulose, celulose solúvel, papel, ferro liga, madeira tratada, carvão vegetal e lenha para o processamento de grãos. A madeira utilizada é plantada e é considerada uma matéria-prima renovável, reciclável e amigável ao meio ambiente, à biodiversidade e à vida humana.

A ABAF representa as empresas de base florestal do estado, assim como os seus fornecedores. Atualmente, a ABAF tem como associados: Aepes, Aiba, Aspex, Assosil, Bahia Produtos de Madeira, BSC, Caravelas Florestas, Copener, Emflors, ERB, Ferbasa, Fibria, Floryl, JSL, Komatsu, Lyptus, Papaiz, Proden, Ponsse, Sineflor, Stora Enso, Suzano, Veracel e 2Tree. A ABAF tem como meta primeira contribuir para que o setor que representa se desenvolva sobre bases sustentáveis, seja do ponto de vista econômico, ambiental ou social.