Nova diretoria do Sindpacel é empossada

img17Reeleito à presidência do Sindicato das Indústrias do Papel, Celulose, Papelão, Pasta de Madeira de Papel e Artefatos de Papel e Papelão no Estado da Bahia – Sindpacel, Jorge Cajazeira, que acumula em seu vasto currículo experiências agregadoras para o setor que representa, assinou o termo de posse para conduzir mais um mandato. O evento, que ocorreu na última quinta-feria (16), na Federação das Indústrias do Estado da Bahia – FIEB contou com a participação de autoridades governamentais, indústrias associadas, entidades parceiras e personalidades representativas para o setor.

Na oportunidade, Ricardo Alban, presidente da FIEB, descreveu a satisfação de ter o Sindpacel como parceiro da Federação. “Contar com a parceria desse sindicato é, para nós, um grande prazer. Queremos que continue assim, de uma forma bastante extensiva, agregando e convergindo. Queremos que essa casa seja representativa, uma verdadeira caixa de ressonância de todos os desejos, aspirações e lutas que das classes sindicais”, pontuou.

Juntamente com nova diretoria, Cajazeira pretende manter as conquistas alcançadas e reforçar a preocupação ambiental das empresas de papel e celulose instaladas no Estado. “O setor, nestes últimos quatro anos, teve grandes conquistas. Papel e celulose hoje detém a maior exportação do estado, possui um faturamento expressivo, com empresas renomadas no mercado. Vamos para mais três anos de mandato e trabalharemos para fazer com que esse setor ganhe ainda mais importância e representatividade”, enfatiza Cajazeira.

No clima de comemoração, o Sindpacel também celebrou seus 60 anos de história e foi homenageado com a homologação da certificação de qualidade ISO 9001:2008. “Agora, o nosso sindicato se tornou o primeiro da Bahia a conquistar um certificado de qualidade com base na nova lei ISO 9001, como reconhecimento por um trabalho de muita dedicação”, comemorou Cajazeira.

Os números

Ao longo dos anos, a Bahia tornou-se um dos mais importantes polos de produção de celulose do Brasil, gerando cerca de 12 mil postos de trabalho. O Estado responde por 17% da produção de celulose e 4% da produção de papel do País. Entre as 10 maiores indústrias exportadoras do Estado, três pertencem ao setor. Em relação ao Brasil, a Bahia responde 25% do total vendido pelo País aos mercados internacionais.