Webinário traz capacitação em manejo de formigas em florestas cultivadas

“Manejo integrado de formigas cortadeiras em florestas cultivadas” é o tema do segundo curso do ciclo de webinários “Capacitação do Agro” que o Sistema Faeb/Senar/Sindicatos realiza em parceria com a Associação Baiana das Empresas de Base Florestal (ABAF). Neste curso que acontece em 28/07, às 17h30, o engenheiro florestal Ronald Zanetti (Professor Titular do Departamento de Entomologia da Universidade Federal de Lavras) vai abordar aspectos das bioecologia, monitoramento e controle. O evento, que conta ainda com o apoio da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Florestas), é aberto para todo o público do meio rural. Inscrições pelo site: eventos.sistemafaeb.org.br.

O ciclo de webinários “Capacitação do Agro” já contou com o tema “Manejo de pragas florestais” (realizado em 30/06, com o engenheiro agrônomo, Professor Dr. Carlos Wilcken, do Departamento Proteção Vegetal, FCA/UNESP – Campus de Botucatu). Em 25/08, também às 17h30, acontece o último encontro com o tema “Sistema ILPF”, com o pesquisador da Embrapa Florestas, Vanderley Porfírio da Silva.

De acordo com o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária da Bahia (Faeb), Humberto Miranda, essas capacitações são fundamentais para qualificar cada vez mais os trabalhos dos técnicos, consultores e profissionais das áreas de ciências agrárias. “É muito importante também a participação de produtores e trabalhadores rurais, uma vez que o conhecimento ajuda a superar os desafios encontrados no agro. Essa parceria com a Abaf e a Embrapa Florestas possibilita que a gente reúna os maiores nomes do país, garantindo um conhecimento de alta qualidade para todos que participarem do webinário”. Ele acrescentou ainda que “o conhecimento é o grande impulsionador do campo e tem o poder de transformar, ainda mais, o nosso setor”.

Segundo o diretor da ABAF, Wilson Andrade, estes trabalhos são fundamentais para o agro e, agora, com destaque para a atividade florestal. “Este tipo de parceria traz bons resultados, como o aumento da produtividade por hectare, controle eficiente de pragas e uma convivência comprovada entre lavoura, pecuária e floresta. Nosso setor é reconhecido pelo uso de alta tecnologia empregada e aperfeiçoada pelas empresas do setor, com base em experiências internacionais e parcerias com a Embrapa e pesquisadores nacionais”.

Para Andrade, além de tudo isso, este tipo de iniciativa tem muito a oferecer para melhorar as vantagens competitivas do setor. “Precisamos trabalhar para que o mercado atenda as demandas locais por madeira. Temos, aqui na Bahia, ótimas iniciativas no setor de celulose e papel, por exemplo, mas o mercado tem que se desenvolver de forma mais ampla. Precisamos produzir madeira para o uso múltiplo”, informou.

Ele reforçou que este trabalho já vem sendo desenvolvido através do Programa Ambiente Florestal Sustentável (PAFS), uma parceria ABAF e ADAB. “O programa tem o objetivo de incentivar a inclusão de pequenos e médios produtores no plantio, manejo e processamento da madeira de florestas comerciais para usos múltiplos. O programa trabalha temas relativos à educação ambiental em diversas comunidades rurais: Uso Múltiplo da Floresta Plantada/Programa Mais Árvores Bahia; Regulamentação Ambiental das Propriedades Rurais (Código Florestal/ CAR/ Cefir); Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF)/Plano ABC; Preservação dos Recursos Hídricos; Prevenção e Controle de Incêndios Florestais; Controle de Gado nas Áreas de Preservação; Combate ao Carvão Ilegal; e o Programa Fitossanitário de Pragas”, explica.

Manejo de formigas

O professor que vai ministrar o curso de “Manejo integrado de formigas cortadeiras em florestas cultivadas”, Ronald Zanetti, é ainda Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Entomologia da Universidade Federal de Lavras desde 1996. Possui graduação em Engenharia Florestal (UFV – 1990), mestrado em Entomologia (UFV – 1992) e doutorado em Ciências Florestais (UFV -1998). Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq. Atua em ensino, pesquisa e extensão nas áreas de Recursos Florestais/Engenharia Florestal e Ecologia Aplicada. As principais linhas de pesquisa são: Proteção Florestal, principalmente na bioecologia, amostragem e manejo de formigas cortadeiras e de outras pragas em florestas cultivadas; e Ecologia Aplicada, principalmente em comunidades de formigas em agroecosistemas.

De acordo com o professor, as formigas cortadeiras dos gêneros Atta (saúvas) e Acromyrmex (quenquéns) são as pragas de maior importância econômica de florestas cultivadas, pois desfolham intensamente e constantemente as plantas em qualquer fase de seu desenvolvimento, que são carregados para o interior de seus ninhos sob o solo, onde cultivam fungos simbiontes. A desfolha provocada pelas formigas reduz o crescimento das plantas e a produtividade das florestas cultivadas.

“Os danos econômicos provocados por formigas cortadeiras em eucaliptais no Brasil são de aproximadamente U$ 900 milhões, durante um ciclo de produção de sete anos, correspondendo a 8,3% do valor total da floresta. O controle das cortadeiras é feito quase exclusivamente com a aplicação de inseticidas, com custo de aproximadamente U$ 610 milhões durante um ciclo de produção em eucaliptais no Brasil, correspondendo a 5,6% do valor total da floresta. No entanto, existem outras técnicas de controle disponíveis, possibilitando o uso de programas de manejo integrado dessas formigas. Esses programas tiveram início na década de 1990, porém eles se intensificaram nos últimos 5 anos, devido às exigências dos certificadores florestais. O manejo de formigas cortadeiras é fundamentado no monitoramento dessas pragas, visando a tomada de decisão de controle e seleção de táticas de controle”, explica.

 

O Sistema Faeb/Senar trabalha para fortalecer o setor agropecuário baiano, defendendo os interesses e direitos dos produtores rurais do nosso estado, além de capacitar e profissionalizar a mão de obra rural. A Federação da Agricultura e Pecuária da Bahia (Faeb) disponibiliza serviços de assessorias especializadas orientando os Sindicatos e os produtores nas diversas áreas da agropecuária. O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) tem como missão realizar educação profissional e ação social das pessoas do meio rural, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida e para o desenvolvimento sustentável da Bahia. Além disso, o Senar contribui para o aumento da renda do produtor rural, difundindo tecnologias através da assistência técnica e da formação profissional oferecida gratuitamente pela instituição. A Assistência Técnica e Gerencial do Sistema Faeb/Senar é fundamental para o desenvolvimento da propriedade do produtor rural, contribuindo para a solução de problemas, para aumentar a produtividade, reduzir custos, melhorar condições de produção, preservar recursos, gerar maior lucratividade e repasse de novas tecnologias, através de procedimentos de boas práticas. Por ano, mais de 100 mil pessoas são atendidas pelo Senar Bahia em todo o estado.

 

A ABAF representa as empresas de base florestal do estado, assim como os seus fornecedores. Essa pluralidade dá à associação a possibilidade de planejar e agir com respaldo nos mais variados âmbitos e em horizontes largos. Por isso, a ABAF fomenta a pesquisa, investe na coleta e tabulação de dados, a exemplo do relatório Bahia Florestal. A indústria de base florestal usa a madeira como matéria-prima, com destaque para a produção de celulose, celulose solúvel, papel, ferro liga, madeira tratada, carvão vegetal e lenha para o processamento de grãos. A madeira utilizada é plantada e é considerada uma matéria-prima renovável, reciclável e amigável ao meio ambiente, à biodiversidade e à vida humana. Atualmente tem como associados: Aspex, Assosil, Bahia Florestal, Bracell, Caravelas Florestal, ERB, Ferbasa, Henvix, Floryl, JSL, Komatsu, Proden, Sineflor, Suzano, Venturoli, Veracel e 2Tree.