ABAF participa de Dia na Floresta CIPEM

A terceira edição do Dia na Floresta reuniu aproximadamente 90 pessoas em 14/07, em Sinop (500 quilômetros ao Norte de Cuiabá). O evento que tem como finalidade apresentar a sustentabilidade e organização do setor de base florestal de Mato Grosso é promovido pelo Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeiras do Estado de Mato Grosso (CIPEM), Fórum Nacional das Atividades de Base Florestal (FNBF) e Secretaria Estadual de Meio Ambiente (SEMA).

O diretor executivo da Associação Baiana das Empresas de Base Florestal (ABAF), Wilson Andrade, acompanhou as atividades e, também, conheceu o Sindicato das Indústrias Madeireiras do Norte do Estado de Mato Grosso (Sindusmad). Andrade representou ainda a Finncham (câmara de comércio Brasil-Finlândia), da qual é diretor da regional Nordeste.

“É surpreendente o desenvolvimento socioeconômico e ambiental do MT na área de grãos, pecuária, mas notadamente com os cuidados e a organização dos envolvidos na cadeia produtiva da madeira. Destaque para o trabalho cooperativo, que se viu no encontro, com os órgãos governamentais, prefeituras, produtores, empresários, indústrias e exportadores de madeira, sob eficiente legislação ambiental do estado. O Brasil é uma potência ambiental comprovada e precisa efetivamente melhorar sua imagem, nesta área, no exterior. E ações como o ‘Dia na Floresta’, trazendo a imprensa e as delegações diplomáticas de diversos países, e mostrando com transparência as atividades e seus sistemas de organização, são fundamentais para contribuir com esta mudança de percepção em relação ao meio ambiente do nosso país”, declarou Andrade.

Além dos embaixadores e representantes dos Estados Unidos, México, Panamá, Peru, Equador e Finlândia, o encontro também recebeu representantes da Federação das Indústrias de Mato Grosso (FIEMT); Frente Parlamentar Agropecuária (FPA); Ministério Público Estadual (MPE); Polícia Rodoviária Federal (PRF); Ordem dos Advogados do Brasil (OAB); Ministério das Relações Exteriores (MRE); Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA); Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama); Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato) e Juizado Volante Ambiental (Juvam).

A programação matutina contou com um ciclo de palestras e visita técnica a uma área de manejo florestal. A Fazenda Platina – que já está em seu segundo ciclo exploratório, há 50 quilômetros de Sinop – sediou esta primeira fase do evento. O presidente do CIPEM, Rafael Mason, destacou que esta é uma importante oportunidade para que o manejo sustentável das florestas seja conhecido. “Este segmento econômico ganha ainda mais força apresentando seus processos e respeito com o meio ambiente”, observou.

Falando sobre “a sustentabilidade da produção florestal de Mato Grosso”, a secretária estadual de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti, apresentou como o Governo do Estado está gerindo a questão florestal do maior produtor de madeira nativa do país. Ela destacou ainda que atualmente existem 860 empreendimentos cadastrados nos segmentos de beneficiamento, industrialização e desdobro de madeira.

Quanto à gestão de resultados da Sema, a secretária demonstrou que que houve redução de 56% no tempo médio de liberação de processos florestais, contabilizando atualmente prazos 45% abaixo do período legal de 180 dias. “Em dezembro de 2018 a média era de 230 dias. Esse número chegou a 100 dias em dezembro do ano passado”, comemora.

Durante a apresentação, a secretária de Meio Ambiente também demonstrou o Programa Carbono Neutro. Segundo ela, “o Programa tem a meta voluntária de redução de 80% das emissões de gás carbônico até 2030 e 100% em 2035. É uma integração entre o programa, estratégias do Governo de Mato Grosso e do setor privado para produção sustentável e de baixas emissões”.

Ainda durante a manhã, o diretor de Uso Sustentável da Biodiversidade e Floresta do Ibama, João Pessoa Riograndense, mostrou dados nacionais sobre o manejo florestal sustentável. O diretor frisou que a produção anual de madeira nativa gira entre 9 e 11 milhões de metros cúbicos e que 88% da produção é proveniente de Planos de Manejo Florestal Sustentável. Mato Grosso é responsável por 85% da produção sustentável de madeira, seguido do estado do Pará, com 28,2% e Rondônia, 19,8%. Quanto ao mercado internacional, Riograndense disse que 10% dos produtos madeireiros são exportados países como Estados Unidos, França e China.

Após as apresentações a comitiva seguiu para uma área de floresta manejada em exploração já no segundo ciclo, ou seja, foi possível conhecer in loco a área que passou por colheita há pelo menos 25 anos após a colheita primária.