ABAF participa do Seminário Conhecendo o Eucalipto e os Benefícios das Florestas Plantadas

A Associação Baiana das Empresas de Base Florestal (ABAF) participa do Seminário Conhecendo o Eucalipto e os benefícios das Florestas Plantadas, que a Bracell realiza dia 19/07, às 13h, no Hotel Aster de Alagoinhas (BA). O objetivo é discutir e esclarecer principalmente assuntos relativos ao eucalipto e o uso de solo e água.

Para isso, a Bracell convidou dois especialistas: “Aspectos climáticos da região do agreste baiano e Litoral Norte” é o tema da palestra de Paulo Cesar Sentelhas, professor de Agroclimatologia da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” da Universidade de São Paulo (ESALQ/USP). A engenheira florestal do Programa Cooperativo sobre Monitoramento e Modelagem de Bacias Hidrográficas do Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais (PROMAB/IPEF), Carolina Bozetti Rodrigues, fala sobre “O eucalipto no contexto da bacia hidrográfica da região”.

“O seminário tem o objetivo de reunir os principais públicos de interface da Bracell no Litoral Norte e Agreste baianos para discutirem sobre a importância das florestas plantadas para o território onde atuamos. Também de desmistificar ‘lendas’ sobre o eucalipto que são repetidas por gerações, sem fundamento técnico algum. Para isso, na ocasião, teremos doutores em solo e água que poderão tirar as dúvidas de todos os presentes sobre questões muito difundidas, exemplo, ‘o eucalipto seca o solo’, ‘o eucalipto é um deserto verde’, entre outros mitos. O evento também é uma forma de reforçar a atuação responsável e transparente da empresa quanto a suas atividades”, explica Mouana Fonseca, gerente de relações institucionais e responsabilidade social da Bracell.

O gerente sênior florestal da Bracell, Bruno Félix abre o evento que, na sequência conta com a apresentação sobre a responsabilidade socioambiental e econômica do negócio da empresa, por Mouana Fonseca (gerente de relações institucionais e responsabilidade social) e Meryellen Baldim (coordenadora de meio ambiente e certificações). Em seguida, o diretor executivo da ABAF, Wilson Andrade, fala sobre “Benefícios do negócio florestal na Bahia”. Após as palestras dos especialistas convidados, o evento será encerrado com um bate-papo quando os presentes poderão fazer perguntas aos palestrantes.

“Além de informar sobre importantes tópicos para a diversificação e sustentabilidade da atividade agropecuária, o objetivo da ABAF é estimular a produção e processamento da madeira plantada. A Bahia ainda não produz (e processa) a madeira plantada suficiente para atender a demanda do estado e muito disso se dá pela falta de conhecimento sobre o setor. Trabalhamos, inclusive, para a inclusão dos pequenos e médios produtores e processadores de madeira para uso múltiplo, visando o atendimento da demanda por móveis, peças e partes de madeira na Bahia – hoje atendida, na sua maior parte, por outros estados brasileiros”, acrescenta Wilson Andrade, diretor executivo da ABAF. Este tema, inclusive, é um dos trabalhados pelo Programa Ambiente Florestal Sustentável (PAFS).

O PAFS – O PAFS vem trabalhando temas relativos à educação ambiental em diversas comunidades rurais: Uso Múltiplo da Floresta Plantada/Programa Mais Árvores Bahia; Regulamentação Ambiental das Propriedades Rurais (Código Florestal/ CAR/ Cefir); Integração Lavoura, Pecuária e Floresta (iLPF)/Plano ABC; Preservação dos Recursos Hídricos; Prevenção e Controle de Incêndios Florestais; Controle de Gado nas Áreas de Preservação; Combate ao Carvão Ilegal, além de manter o Programa Fitossanitário de Pragas.

Para isso foi elaborado um amplo programa de comunicação e foi montada e orientada uma equipe de engenheiros (agrônomos e florestais) que vem trabalhando com uma estrutura formada por veículos, equipamentos audiovisuais, campanha publicitária e material informativo. Entre as atividades que fazem parte da rotina dos profissionais, destaque para o monitoramento de defesa sanitária animal, fiscalização da presença de gado em APP, visita a propriedades rurais, notificação e termo de advertência, palestra em comunidades rurais, associações e escolas.

Desde o seu início, o PAFS já percorreu mais de 243 mil quilômetros; realizou 200 treinamentos em 180 comunidades; instruiu e orientou mais de 8 mil produtores rurais de frutas, eucalipto, café, entre outras culturas, da região e estudantes. 

“O resultado tem sido muito positivo graças às parcerias feitas com o Governo do Estado, através da Seagri e ADAB; Sindicados Rurais da FAEB/Senar e Prefeituras, através de suas secretarias de agricultura e meio ambiente. Acreditamos que a responsabilidade de uma produção rural sustentável tem que ser de todos nós”, informa Paulo Andrade, coordenador do programa.