Bahia sai pioneira no lançamento do Programa Mais Árvores com ‘Dia de Campo’ em quatro regiões do Estado

dia-de-campo3De 08 a 17 de julho, o Time Agro Brasil da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em parceria com a Associação Baiana das Empresas de Base Florestal (ABAF) realizou Dias de Campo em quatro regiões da Bahia focando em dois temas principais do Programa Mais Árvores: Manejo Florestal para Usos Múltiplos da Madeira e Gestão da Propriedade Rural. Os demais módulos do programa e a instalação da unidade produtiva em cada região estão programados para 2016.

Cerca de 500 produtores de madeira do Litoral Norte, Oeste, Sul e Sudoeste – além de técnicos, estudantes, fornecedores de produtos e serviços rurais – estiveram participando dos eventos que se dividiram em palestra (manhã) e visita técnica (tarde). O primeiro Dia de Campo aconteceu em 08/07 na Fazenda Salgado – Centro de Tecnologia Florestal/Copener, em Inhambupe (46 km de Alagoinhas, Litoral Norte). O segundo foi em 10/07, com palestra pela manhã na ExpoBarreiras e visita técnica (tarde) na Fazenda das Águas, em Barreiras (Oeste). Dia 14/07 foi a vez do Dia de Campo na Fazenda Gameleira, em Eunápolis (Sul). O último Dia de Campo do período acontece em 17/07, na Fazenda Santana, em Vitória da Conquista (Sudoeste).

Segundo o diretor-executivo da ABAF, Wilson Andrade, o Dia de Campo é um estímulo para o aumento da área plantada, processamento e comercialização de madeira na Bahia. “Embora tenhamos uma produção com uma área de 700 mil hectares, o estado ainda precisa importar 90% da madeira de outros estados para a construção civil.  Podemos aumentar esta produção e principalmente estimular o plantio da madeira focado em seus usos múltiplos”, afirma. Baseado nos projetos de implantação, a expectativa da ABAF é que a área plantada alcance cerca 1 milhão de hectares nos próximos dois anos. Mesmo com este incremento, a área de floresta plantada corresponde a 1% de território baiano. O programa Mais Árvores Bahia, segundo Andrade, vai estimular a produção de floresta plantada com o trabalho desenvolvido nas três vértices do triângulo da cadeia produtiva do setor florestal, com estímulo aos produtores de madeira, compradores e indústrias beneficiadoras e os consumidores finais por meio das revendas de madeiras de indústrias de móveis e construção civil.

A coordenadora do programa pela CNA, Camila Braga disse que ficou muito satisfeita com o engajamento dos produtores baianos para realização dos Dias de Campo. “Cerca de 500 produtores receberam instruções sobre a importância da análise e correção de solos para o sucesso do projeto florestal. Além disso, compreenderam a importância do profissionalismo na gestão da sua propriedade, que deve ser planejada como uma empresa rural. Esses produtores já estão aptos a participarem do Programa Mais Árvores Bahia, que a partir do próximo ano prevê a instalação de uma unidade produtiva modelo em cada região de atuação do programa e a realização dos 5 módulos do programa na íntegra. Os produtores baianos estão de parabéns pelo pioneirismo! A qualidade do plantio e o manejo florestal para usos múltiplos são as nossas prioridades para o estado”, disse.

Palestras

Um dos palestrantes, o engenheiro agrônomo da Unisafe Consultoria, Pedro Francio, disse que sua contribuição é no sentido de trazer experiências de tecnologia do setor florestal para os produtores locais, especialmente em relação à correção dos solos, escolha das matrizes para plantio, espaçamento, irrigação e o manejo das árvores que vai possibilitar a valorização do produto no mercado. Em suas palestras e visitas às áreas de eucalipto, Francio falou sobre como produzir com sustentabilidade, sobre tecnologias que permitem o manejo florestal nos diferentes tipos de solo da Bahia e sobre os diferentes tipos de plantio consorciado com eucalipto. “Em cada região visitada, o plantio de eucalipto pode ser consorciado com a pecuária ou outras culturas de agricultura”, destacou o palestrante, enfatizando que o componente florestal nas propriedades é rentável, ajuda no equilíbrio ambiental e gera emprego e renda. “Dá para aproveitar 100% da floresta”, concluiu.

O outro palestrante, Diego Oliveira, do Centro de Inteligências em Mercados (UFLA), falou sobre a gestão das propriedades rurais, sobre a rentabilidade de madeira para usos múltiplos e sobre linhas de crédito. “Os dias de campo na Bahia superaram todas as nossas expectativas. A participação de produtores e de outros agentes da cadeia produtiva foi bastante satisfatória, com grande integração nas discussões teóricas e práticas. Sem dúvidas os objetivos foram alcançados, e esperamos que os produtores rurais levem todo o aprendizado para seus negócios”, disse.

Esta ação faz parte do Programa Mais Árvores da CNA que tem por objetivo incentivar o produtor rural a investir no plantio e manejo de florestas comerciais para usos múltiplos (produtos madeireiros e não madeireiros), com tecnologia aplicada, nas principais regiões com aptidão florestal do país. O evento é uma realização Time Agro Brasil e tem como parceiros: CNA, SEBRAE, FAEB/SENAR, ABAF, SINEFLOR (Norte), AIBA e Sindicato dos Produtores Rurais de Barreiras (Oeste), ASSOSSIL (Sudoeste) e ASPEX (Sul).