CHEGOU O KOMATSU S162E

As grandes inovações tecnológicas do setor florestal não são apenas fruto de um desejo de inovação por parte das empresas de tecnologia e fabricantes de máquinas e equipamentos, mas surgem como resposta a demandas concretas do mercado florestal. Ao identificar os principais desafios e necessidades de seus clientes, as empresas desenvolvedoras de novas soluções são capazes de ofertar produtos e serviços especificamente projetados para ajudar a superar esses entraves.

É o caso do mais recente lançamento da Komatsu Forest, multinacional fabricante de máquinas, equipamentos e implementos florestais. O novo Komatsu S612E é um cabeçote processador desenvolvido especialmente para derrubada rápida e eficiente em florestas plantadas de eucalipto. O cabeçote tem um projeto robusto baseado em componentes conhecidos e que proporcionam ao S612E grande confiabilidade, produtividade e rentabilidade.

“O principal conceito por trás do Komatsu S162E é poder prover ao mercado florestal um cabeçote de menor custo de manutenção mecânica, disponibilidade mecânica e alta confiabilidade, complementando a Linha S Komatsu Forest, principalmente no layout de mangueiras, mantendo o sistema de controle Komatsu MaxiXplorer. O objetivo principal é a aplicação na colheita de madeira descascada com volume entre 0,1 e 0,6 m3/árvore, reduzindo custos da manutenção e mantendo a alta performance de qualidade dos produtos Komatsu”, explica Sandro Soares, especialista de produto na Komatsu Forest Brasil.

O mais novo cabeçote da fabricante possui quatro facas desgalhadoras móveis hidráulicas e uma faca superior fixa, bem como uma faca desgalhadora fixa na parte traseira do cabeçote, otimizada para árvores de eucalipto com um diâmetro entre 20 e 26 cm. As facas desgalhadoras têm um formato curvo composto, que segue a forma natural da árvore e aumenta a qualidade do descascamento. A medição de diâmetro é incluída como padrão com um sensor localizado no pivô do braço do rolo de tração.

“O conceito do cabeçote S162E é  ter o suporte do rolo inclinado, proporcionando o giro da madeira. Isto propicia melhor qualidade no descascamento do que outros cabeçotes da linha. A unidade de corte utiliza sabre e corrente convencional, uma marca de mercado, o que facilita a aprendizagem nas atividades diárias e a manutenção a custo reduzido. Ainda, o cabeçote apresenta alto índice de disponibilidade de peças e suporte ao produto”, diz Érico Picinatto Júnior, gerente de vendas da Komatsu Forest.

O Komatsu S162E também possui braços do rolo de tração em ângulo para otimizar o processo de descascamento, enquanto o chassi conta com um rolo de suporte na parte frontal para minimizar o atrito. Para reduzir o impacto ambiental causado por vazamento de óleo, o cabeçote é equipado com acoplamentos ORFS, adequando o implemento às principais demandas por soluções sustentáveis.

Em síntese, dentre os diversos benefícios do novo cabeçote, os principais destaques do Komatsu S612E são: flexibilidade e confiabilidade; projeto robusto e componentes comprovados; descascamento eficaz com facas desgalhadoras especialmente projetadas para seguir a forma natural da árvore; quatro facas desgalhadoras móveis hidráulicas e uma faca superior fixa; faca fixa na parte traseira do cabeçote, otimizada para descascamento de eucalipto; medição de diâmetro incluída como padrão, localizada no pivô do braço do rolo de tração; braços do rolo de tração em ângulo para otimizar o processo de descascamento; e tensionador de corrente automático.

“O cabeçote Komatsu S162E veio em meio a esta pandemia que afetou a todos, principalmente o produtor florestal, como uma solução Komatsu para redução do custo operacional considerável, melhorando  a qualidade do descascamento e reduzindo o número de paradas, o que irá resultar em maior disponibilidade e lucratividade na floresta”, conclui o especialista de produto Sandro Soares.