Eventos realizados

28.04.17

Encontro com o Especialista -Teixeira de Freitas recebe evento do setor de Madeira e Movelaria

Com o objetivo de fortalecer o setor empresarial de madeiras e movelaria, foi realizado em Teixeira de Freitas o Sebrae Conecta – Encontro com o Especialista na última terça-feira, 25/04. Representantes de entidades do setor florestal, madeireiro, serraria e movelaria estiveram presentes para conhecer soluções do segmento e trocar experiências.

O Brasil tem hoje cerca de 8 milhões de hectares de madeira plantada que abastecem diversos setores como o de papel e celulose, construção civil, mineração, energia elétrica e produção de aglomerados e peças de madeira. E a Bahia contribui para o crescimento da base florestal do país, em especial, na região Extremo Sul, com cerca de 5% ao ano. Além disso, de acordo com um dos palestrantes do evento e diretor executivo da Associação Baiana das Empresas de Base Florestal (ABAF), Wilson Andrade, o Estado tem a maior produtividade do mundo em metros cúbicos por hectare de madeira. “Cada setor que cresce, como o de energia elétrica ou da construção civil, envolve e alavanca a produção de madeira, e a Bahia tem que aproveitar mais isso”, disse. Ainda segundo ele, o Sebrae Conecta veio para contribuir com o avanço do setor da madeira, integrando o pequeno e médio produtor e estimulando pequenas empresas no processamento da matéria prima.

De acordo com o gerente regional do Sebrae, Alex Brito, o setor de madeira e móveis pode possibilitar um grande desenvolvimento para a região, agregando valor ao mercado de forma sustentável. “A região tem total capacidade para atender a todas as demandas do setor, desde a matéria prima à produção industrial, e o Sebrae vem construindo junto aos empresários as soluções que indiquem o melhor aproveitamento quanto ao gerenciamento do negócio, redução de custos e até aumento de faturamento”, finalizou.

O diretor executivo da ABAF apresentou o “Programa Mais Árvores Bahia” – uma iniciativa da ABAF, em parceria com uma série de entidades ligadas à agricultura, indústria e à qualificação de mão de obra, a exemplo do Sebrae. O objetivo é incentivar a inclusão de pequenos e médios produtores no plantio, no manejo e no processamento da madeira de florestas comerciais para usos múltiplos. “O programa trabalha ao mesmo tempo com os três vértices: produtores de madeira; compradores e processadores de madeira; e consumidores finais no estado, através das revendas de madeira, indústrias de móveis e construção civil. Com isso, visamos atender também a demanda por móveis, peças e partes de madeira para construção civil na Bahia – hoje atendida, na sua maior parte, por outros estados brasileiros”, explica Andrade.

“Queremos – com o apoio do Sebrae, CNA, Senai, Fieb, Faeb/Senar, entre outros importantes parceiros – expandir nosso programa com o apoio a 40 médias serrarias nas quatro regiões da Bahia para atender a nossa demanda por partes e peças de madeira e móveis; com produção e mão de obra locais. Também queremos otimizar a atração de quatro serrarias âncoras (uma para cada região) para que abasteçam o mercado interno com tábuas serradas para o desenvolvimento de pequenas e médias serrarias e carpintarias na Bahia”, acrescenta Andrade.

O programa prevê a implantação de duas principais vertentes de atuação, um chamado Projeto Indústria e outro Projeto Produção, em quatro polos na Bahia – Litoral Norte, Sul, Sudoeste e Oeste. Ambos contam com a coordenação local das entidades regionais que agregam os produtores de eucalipto: Aspex (Associação dos Produtores de Eucalipto do Extremo Sul Bahia), Assosil (Associação dos Silvicultores do Sudoeste da Bahia), Sineflor (Sindicato das Empresas Florestais da Bahia que atua no Litoral Norte), e Aiba (Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia, no Oeste).

O Encontro com o Especialista integra o conjunto de ações do Sebrae Conecta e busca o fortalecimento empresarial, suprindo donos de Micro e Pequenas Empresas (MPE) do Estado com ações inovadoras em 18 segmentos. No setor de Madeira e Móveis, a ação conta com o apoio do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), Associação dos Produtores de Eucalipto do Extremo Sul da Bahia (ASPEX) e da ABAF.