Madeira 2016 vai discutir produção para uso múltiplo e competitividade do setor no mercado internacional

Banner_Madeira2016_flyer

O Instituto Besc de Humanidades e Economia realizará, nos dias 16 e 17 de junho, em Palmas, no Tocantins, o 8º Congresso Internacional de Desenvolvimento Econômico Sustentável da Indústria de Base Florestal e de Geração de Energia – o Madeira 2016. Com o Madeira 2016, o Instituto Besc vai reunir os principais atores do setor florestal em torno do debate de ideias e a realização de ações em benefício do desenvolvimento permanente a esta indústria, além de contribuir com as políticas de investimento público-privado que se destinam à produção e inserção de nossos produtos florestais no mercado internacional.

O tema do Madeira 2016 será “a produção de madeira para uso múltiplo e a competitividade do setor de base florestal no mercado internacional”. O objetivo do congresso é o de questionar, debater e buscar o entendimento do porquê de o Brasil, reconhecido internacionalmente como o país onde se alcançam as maiores produtividades em plantios florestais, não ter, ainda, um posicionamento destacado de liderança na maior parte dos mercados de produtos florestais que vicejam no mundo.

O Madeira 2016 vai procurar responder perguntas, como, por exemplo, por que apenas a celulose branqueada de eucalipto de mercado se destaca no comércio internacional? Por que a madeira tem pouca expressão (3%) em mercados gigantes internacionalmente (US$250 bi), como o de compensados, madeira serrada, produtos de valor agregado, entre outros? Quais os caminhos para o setor ter competitividade nesses mercados? Como se preparar para novos desafios que surgirão nas próximas décadas, como o de energia, combustíveis e plásticos oriundos da madeira? Como está sendo elaborada a Política Nacional de Florestas Plantadas (PNFP), a cargo da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, e agora com maior participação do Ministério da Agricultura, e quais as suas principais diretrizes?

Os organizadores do Madeira 2016 esperam reunir cerca de 400 participantes para apresentação de projetos, temas e programas para o setor de florestas plantadas, incluindo debates e apresentação de propostas, descortinando o panorama nacional e internacional do setor e vislumbrando o seu desenvolvimento atual e futuro. O evento contará com a participação de representantes de empresas, entidades de classe, professores, estudantes, pesquisadores e autoridades governamentais de todos os níveis, interessados em discutir e propor medidas relativas ao desenvolvimento sustentável das atividades de florestas plantadas e industrialização da madeira nas diversas cadeias, com foco na busca de aumento de competitividade internacional.

Troféu Madeira 2016

O Madeira 2016 – ou o 8º Congresso Internacional de Desenvolvimento Econômico Sustentável da Indústria de Base Florestal e de Geração de Energia – vai premiar os destaques do setor em seis categorias. O Troféu Madeira vem se consolidando como um dos principais prêmios para os profissionais e entidades de destaque do setor florestal. Para votar basta acessar ao site www.congressomadeira.com.br

Confira as categorias e os profissionais que estão concorrendo este ano.

Comunicador Social

Celso Foelkel, criador das publicações Eucalyptus Online Book & Newsletter e PinusLetter;

Hiram Firmino, diretor-geral e editor da Revista Ecológico;

Paulo Cardoso, criador e diretor do Portal Mais Floresta;

William Domingues de Souza, editor-chefe da Revista Opiniões;

Empresário

Edson Balloni, diretor da Valor Florestal;

Emilio Rietmann, sócio fundador da Futura Energia;

Marcelo Strufaldi Castelli, presidente da Fibria;

Paulo Moraes, diretor proprietário da FL Florestal;

Robson Trevisan, diretor do Painel Florestal

Executivo Destaque

Fausto Takizawa, secretário-geral da Associação de Reflorestadores de Mato Grosso – Arefloresta;

João Comério, diretor-presidente da Innovatech Negócios Florestais

Paulo Eduardo Rocha Brant, diretor-presidente da Celulose Nipo Brasileira – Cenibra;

Walter Schalka, CEO da Suzano Papel e Celulose;

Wilson Andrade, diretor executivo da Associação Baiana das Empresas de Base Florestal – ABAF

José Artêmio Totti, Diretor Florestal – Klabin

Gestor Público

André Meloni Nassar, secretário nacional de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento;

Bertholdino Apolônio Teixeira Júnior, ex-diretor-geral do Instituto Estadual de Florestas de Minas Gerais – IEF;

Eugênio Spengler, secretário de Meio Ambiente da Bahia e presidente do Fórum Nacional de Secretários de Meio Ambiente;

Maria Helena Batista Murta, Superintendente das Regionais de Regularização Ambiental da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais;

Newton Cardoso Júnior, deputado federal, presidente da Comissão de Silvicultura da Câmara dos Deputados. Pesquisador

Carlos Frederico Wilcken, professor na Unesp, especialista em combate a pragas;

Dario Grattapaglia, Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia;

Helio Garcia Leite, Departamento de Engenharia Florestal da Universidade Federal de Viçosa;

José Luiz Stape, gerente de Inovação da Suzano Papel e Celulose;

Sebastião Machado da Fonseca

Organização Social

AMDA, Associação Mineira de Defesa do Ambiente;

ARETINS, Associação dos Reflorestadores do Tocantins;

ASPEX, Associação dos Produtores de Eucalipto do Extremo Sul da Bahia;

Diálogo Florestal;

Fórum Florestal da Bahia, Oscar Artaza;

Fundação Orsa;

Ibá – Indústria Brasileira de Árvores.