Maior integração dos produtores rurais e ILPF são tema da visita da ABAF à Seagri

A Associação Baiana das Empresas de Base Florestal (ABAF) esteve na manhã de 15/06 na Secretaria de Agricultura Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura do Estado da Bahia (SEAGRI) para dialogar sobre as diversas frentes de cooperação entre as instituições, entre elas a maior integração do pequeno e médio produtor rural na cadeia produtiva do setor de base florestal e maior estímulo ao sistema de Integração Lavoura, Pecuária e Floresta (ILPF).

Na visita, o diretor executivo da ABAF, Wilson Andrade, foi recebido por Claudemir Nonato de Santana (superintendente de Políticas do Agronegócio); Francisco de Assis Pinheiro Filho (diretor de Agricultura); Kátia Correia Lima (coordenadora de Política Agrícola); Thiago Guedes (assessor especial) e Edson Rodrigues (assessor de comunicação).

Andrade informou que parcerias como esta contribuem para que o agronegócio se expanda e se desenvolva sobre bases sustentáveis. Além disso, o diretor ressaltou que o setor florestal faz parte do agro e é um importante indutor da desconcentração da economia, levando mais crescimento e desenvolvimento para mais regiões do estado. O setor – com seus quatro polos de produção – tem levado para o interior mais empregos qualificados, renda, impostos e contribuições ambientais de elevada significância.

O programa de fomento e estímulo a pequenos e médios produtores independentes (que hoje representa mais de 20% do consumo de madeira das indústrias associadas) cresce cerca de 10% ao ano e contribui para a geração de emprego e renda nos municípios.

“Trabalhamos por mais florestas, mais empresas, mais fornecedores, mais serviços e produtos florestais. A ABAF, em nome das associadas, desenvolve ações de impacto econômico, social e ambiental, a exemplo dos Dias de Campo do Programa Mais Árvores Bahia realizados em parceria com a CNA e do Programa Ambiente Florestal Sustentável (PAFS). Também por meio do PAFS, buscamos promover a diversificação e sustentabilidade das atividades rurais. O trabalho ainda se dá para a inclusão dos pequenos e médios produtores e processadores de madeira no setor – e seu uso múltiplo – para melhor atender a população, além de gerar emprego e renda”, declara o diretor da ABAF.

O diretor da ABAF também destacou o trabalho de divulgação do sistema ILPF que é uma tecnologia de produção agropecuária com grande potencial de mitigação de emissões de gases de efeito estufa e sequestro de carbono pelo solo e biomassa, além de uma série de outros benefícios socioambientais e econômicos.

Na Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) a distribuição de mão-de-obra é mais uniforme durante o ano, existe uma melhoria das condições de vida promovida pela diversidade de produção, pois diminui os riscos e incertezas do mercado. As árvores no sistema funcionam como quebra-vento, mantêm a umidade do solo, aumentam a fixação de nutrientes, restauram as propriedades químicas, físicas e microbiológicas do solo, melhorando a qualidade da cultura agrícola ou pasto, além de garantirem maior bem-estar aos animais. Além disso, a atividade aumenta a renda do agropecuarista, resulta em maior estabilidade econômica, e segurança das futuras gerações para dar sucessão a atividade no campo.

PAFS – O programa trabalha diversos temas: Integração Lavoura, Pecuária e Floresta (ILPF); Uso Múltiplo da Floresta Plantada/Programa Mais Árvores Bahia; Regulamentação Ambiental das Propriedades Rurais; Preservação dos Recursos Hídricos; Prevenção e Controle de Incêndios Florestais; Controle de Gado nas Áreas de Preservação; Combate ao Carvão Ilegal; e Programa Fitossanitário de Pragas.

Desde sua criação, as equipes do PAFS já percorreram mais de 380 mil quilômetros, realizaram 278 treinamentos em 234 comunidades, orientaram mais de 12 mil estudantes e produtores rurais de frutas, eucalipto, café, entre outras culturas e visitaram mais de 1.400 propriedades rurais no Sul e Extremo Sul da Bahia.

O resultado tem sido positivo graças às parcerias feitas com o Governo do Estado, através da Secretaria da Agricultura (Seagri) e ADAB; Sindicatos Rurais da FAEB/Senar; Associação de Produtores de Café, Frutas, Pecuária; e Prefeituras, através de suas secretarias de agricultura e meio ambiente.

 

A ABAF representa as empresas de base florestal do estado, assim como os seus fornecedores. Essa pluralidade dá à associação a possibilidade de planejar e agir com respaldo nos mais variados âmbitos e em horizontes largos. Por isso, a ABAF fomenta a pesquisa, investe na coleta e tabulação de dados, a exemplo do relatório Bahia Florestal. A indústria de base florestal usa a madeira como matéria-prima, com destaque para a produção de celulose, celulose solúvel, papel, ferro liga, madeira tratada, energia, carvão vegetal e lenha para o processamento de grãos. A madeira utilizada é plantada e é considerada uma matéria-prima renovável, reciclável e amigável ao meio ambiente, à biodiversidade e à vida humana. Tem como associados: Bracell, Caravelas Florestal, ERB, Ferbasa, Floryl, JSL, Komatsu, Proden, Suzano, Venturoli, Veracel e 2Tree. E coopera com quatro regionais – Aiba, Aspex, Assosil, Sineflor – nos principais polos produtores do estado; as quais vinculam pequenos e médios produtores e processadores de madeira locais.