Suzano desenvolve projeto para fortalecimento das aldeias Pataxós no Extremo Sul da Bahia

Na semana em que se celebra o Dia do Índio – 19 de abril – a Suzano reafirma o compromisso com a promoção de ações de valorização da cultura e respeito à causa indígena. A empresa vem intensificando seu relacionamento com as aldeias Pataxós no Extremo Sul da Bahia, por meio de diálogo constante e transparente, garantindo uma escuta qualificada, além da estruturação de programas de educação e investimentos voltados à agricultura familiar. Ao todo, 15 aldeias participam das ações, sendo 13 do município de Prado, 1 em Itamaraju e 1 em Alcobaça.

Na área da educação, a Suzano desenvolve desde 2019 o Projeto Kijêtxawê (educação em idioma próprio: Patxôhã), que inclui a doação de materiais escolares. Para o mês de maio, está prevista a entrega de 1.500 kits escolares, que vão contemplar todas as crianças e adolescentes matriculados nas escolas indígenas da área de atuação da empresa.

Contribuindo para a valorização e resgate da cultura Pataxó, em janeiro deste ano a Suzano apoiou as Aldeias Trevo do Parque e Canto da Mata, com a aquisição de materiais para reforma e construção, atendendo a dois Centros Culturais Pataxós (Kijeme).

O desenvolvimento da produção agrícola familiar nas comunidades indígenas também é uma das frentes em que a Suzano atua. Em fevereiro deste ano a Companhia realizou a doação de uma grade aradora para a Aldeia Kaí, em Cumuruxatiba (Prado), para auxiliar as atividades de preparo de solo. A Suzano também doou insumos agroecológicos (fosfato reativo) e mudas ativas para a Aldeia Águas Belas.

E visando fortalecer o desenvolvimento de estruturas comunitárias nas aldeias Pataxós, a Suzano também oferece apoio ao deslocamento das comitivas de lideranças indígenas que visam a busca continua da garantia dos direitos fundamentais.

“A Suzano vem consolidando o seu apoio aos indígenas do Extremo Sul da Bahia, incentivando a educação, a preservação da cultura e estimulando a agricultura familiar, com o objetivo de promover a segurança alimentar e ampliar a renda nas aldeias. Os pilares dos projetos foram criados com base em um diagnóstico realizado com comunidades da região e as iniciativas estão alinhadas com os direcionadores de cultura da Suzano, dentre eles o de que só é bom para nós se for bom para o mundo. A Suzano reconhece a importância do povo indígena e a sua história e quer intensificar ainda mais as iniciativas em parceria com as comunidades”, afirma Douglas Peixoto, coordenador de Desenvolvimento Social na Suzano.